Páginas

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

A Oração e a Ligação


Cristo - Salvador Dalí
O rapaz acorda assustado com o telefone tocando em plena madrugada:
Alô! 
– Fulano? 
– Sim. Quem tá falando? 
Jesus Cristo. 
– Huuumm. Que foi? 
– Você não me conhece. Quer dizer.... todo mundo me conhece.... mas nunca nos falamos. Quer dizer.... já nos falamos..... Quer dizer... você falou. Não, não....  você rezou. Espera aí... Tô fazendo confusão! Todos falam comigo, eu ouço, mas talvez jamais alguém tenha me ouvido. Aaahhhh! Você entende o que eu to dizendo, né?
Sim, entendo. 
Então vamos ao que interessa: teria jeito de você fazer uma versão nova do Pai Nosso? 
– Eu? Mas por quê? O que tem de errado? 
Não tem nada de errado. Apenas cansei de ouvir a mesma cantilena repetidas vezes. E tem também o fato de que você escreve esse monte de insanidade nesse seu blog, daí  eu pensei em te dar uma chance de produzir algo útil ao menos uma vez na vida. O que acha?
Pode ser. Mas não sei se devo. E se você não gostar? 
Fique tranqüilo. Apenas faça. 

Dias depois, o telefone toca novamente e a voz vai direto ao assunto:
  E então? Tá pronto? 
Sim. Olha... eu acabei mesmo foi retirando os excessos. Ficou assim: PAI NOSSO, SEJA FELIZ POR TODA A ETERNIDADE! AMÉM!

(Silêncio) 

Muito bom! Muito bom! É a primeira vez que alguém se lembra de mim e me deseja felicidade. 
Pois é. Eu pensei que, se ao invés de ficar com essa mania egoísta do ser humano de pedir, “o pão nosso de cada dia nos dai hoje, livrai-nos do mal, perdoai nossas ofensas, não nos deixeis cair em tentação”, blá, blá, blá.... blá, blá, blá, seria melhor que apenas desejássemos sua felicidade, e nada mais. 
Claro, claro. É isso mesmo. Ninguém jamais pensou nisso: desejar minha felicidade. Estou muito emocionado. Obrigado. Já vou decretar a alteração.

Uma semana se passa e novamente o telefone toca na madrugada:
Alô! 
– Fulano? 
– Sim. Quem tá falando? 
Jesus Cristo. Lembra de mim? Aquele do Pai Nosso?.... Brincadeira! Você ficaria magoado se eu voltasse a versão original da oração, com aquela coisa toda de pedir, pedir, pedir? 
Não. Claro que não. A oração é sua.
É que descobri que a vida só faz sentido se tenho todos aqueles humanos pedidos para atender. Olha.... os homens sempre foram essa estrutura equivocada e perdida na vastidão do universo, e eu não me sentiria bem em abandona-los.
Entendo. 
Que bom! Não fica mesmo chateado? 
Não. 
Então, tchau. 
Tchau.
Ei?
O quê? 
Você não quer pedir nada?.... Brincadeira!
A vida é realmente bela!

4 comentários:

Lena disse...

Vc é mesmo genial!

Bjs

Anônimo disse...

Cara... você é um gênio. Por vezes fico a imaginar sua angústia de se fazer entender por nós, simples mortais. Deve ser um tédio!

Elisa

Virgílio disse...

muito, muito, muito bom! espetáculo!

Neto Geraldes disse...

Mais uma vez, muito bom.